segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Atividade - PLAC 3 Cursista: Eunice E. Rocha Müller

PLAC 3: FAZER E COMPREENDER NO COLETIVO DA ESCOLA(01/02/16)
Atividade
Cursista: Eunice E. Rocha Müller
Texto: Produção da Narrativa Conclusiva da cursista no curso

         Minha trajetória nesse curso iniciou-se no dia 25 de agosto de 2014, o que me fez realizar este curso foi para aprimorar meus conhecimentos. Neste decorrer muitas coisas aconteceram: aprendi e vivenciei muitos conhecimentos, tive muitas dificuldades, mas foram aprendizados que na qual pude inserir na minha prática educativa e na instituição escolar Donato Alípio de Campos onde iniciei os estudos e hoje uso no meu dia a dia.
         Aconteceram vários obstáculos entre eles posso citar as dificuldades que a escola apresentava com relação as TDIC e alguns professores em aderir as novas tecnologias e com o decorrer de nossas propostas os mesmos começaram a ser superados. Ficou visível que muitas coisas precisam ser aperfeiçoadas na escola, como o espaço, a liberação das mídias, aparelhos modernos, manutenção e outros.
         Penso ser de suma importância introduzir as tecnologias no processo educativo com responsabilidade e que a mesma faça parte do Currículo Escolar, pois eu enquanto educadora estou ciente que é impossível ficar sem as TDIC no contexto escolar e pessoal.


Atividade 2 - PLAC 3 - Regiane de Fátima Franzói Lemos

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA.
ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO NA CULTURA DIGITAL.
POLO: ESCOLA BÁSICA MUNICIPAL “PROFESSOR DONATO ALÍPIO DE    CAMPOS” - BIGUAÇU
CURSISTA: REGIANE DE FÁTIMA FRANZÓI LEMOS
ATIVIDADE 2- PLAC 3: TRAJETÓRIA AO LONGO DO CURSO.


Estando a disposição no laboratório de informática da escola e como uma curiosa quanto ao uso das tecnologias, não pensei duas vezes quando o diretor divulgou as vagas para participar do Curso de Educação na Cultura Digital. Outros colegas professores se interessaram em realizar o curso, porém apenas três deles, incluindo eu, estamos ativos e certos de concluirmos.
Um dos motivos que me levou a realizar o curso foi para procurar conhecer melhor as TDIC e as possibilidades de integrá-las nas práticas pedagógicas, para poder interagir e avançar na perspectiva de envolver a aprendizagem de um modo inovador. Vejo que foi além do que esperava, cada dia aprendo o que imaginava nunca aprender, ou não ter condições para aprender.
Enriquecida de conhecimento e de muita aprendizagem tenho como lema levar adiante este conhecimento e poder orientar e informar. Tenho consciência que esta inovação pode sim transformar a educação, facilitando aos educandos uma nova visão da sociedade utilizando as tecnologias como uma ferramenta que podem ser de benefício para sua vida escola, profissional e social.
Munida das informações recebidas através do curso, pude mostrar aos alunos e professores, como também a equipe diretiva e pedagógica, a relação das TDIC com o fazer pedagógico, incentivando-os assim à obterem melhor aproveitamento nos seus estudos. As participações ativas dessas ações tornaram-se capazes de transformar e dominar a realidade, fazendo delas a mesma fonte e o processo para produção do conhecimento contemplando a inter-relação entre todas as disciplinas e conteúdos interconectados com as atividades trabalhadas. O comportamento em relação as tecnologias a fim de usá-las ao seu favor e ao aprendizado despertou o interesse de muitos educadores e educandos. Fomos até notícia de jornal defendendo o uso correto das TDIC em sala de aula. Veja:
*Professora Regiane (cursista)



·         Secretária de Educação de Biguaçu – SC




Muitas foram as dificuldades durante esse tempo, mas as dificuldades quando são superadas traz algo importante para nós, superar limites, ir além, nos faz crescer, nos torna melhores, e isso com certeza nos ajudou muito como profissionais. O conhecimento adquirido no curso aumentará as possibilidades do trabalho pedagógico, de equipe, de interdisciplinaridade na escola e com certeza todos sairão ganhando, docentes, discentes e família. Em aberto ainda estão os limites que cada um deverá ter para não fazer das TDIC uma ferramenta de trabalho ósseo, mas sim produtivo, de respeito e responsabilidade com o aprender.
De mais significativo fica a percepção do salto qualitativo de mudança visualizado na escola nos dias atuais. A escola tem o estigma de estar sempre atrás da sociedade, mas agora, se não se adequar, ficará mais ainda, pois a sociedade está mudando muito rápido. Importante também entender que já existe dentro da escola uma semente germinando a mudança. Ver o pátio da escola com roteadores levando a internet ao alcance de todas as salas de aula, conectando alunos e professores, não tem preço, é maravilhoso.
Todas as práticas foram relevantes e proveitosas, com certeza contribuíram muito para o aperfeiçoamento de cada professor. Percebemos que as culturas digitais assim como as TDIC devem estar presentes nos currículos de nossas escolas, e que trabalhar de forma colaborativa e interdisciplinar facilita o trabalho e aumenta as possibilidades das crianças aprenderem muito mais. Hoje a tecnologia está presente em nosso meio, com muita influência, cabe ao professor aprender como introduzir pedagogicamente esses recursos em sua prática pedagógica, pois a escola precisa se aproximar do ritmo da sociedade em que o aluno está inserido e para que a prática do professor seja dinâmica, é necessário que ele conheça os benefícios na aprendizagem proporcionando ao educando uma aula mais atrativa e prazerosa com uso dos recursos tecnológicos. O professor tem ainda diversas dificuldades em relação ao manuseio e compreensão da tecnologia como instrumento facilitador da aprendizagem.
Sendo professora alfabetizadora, com coragem de inserir o uso das TDIC no meu currículo anual, vi mudar a forma como meu aluno se motivou a frequentar as aulas. Acredito que esta nova linguagem digital provoca e provocará mudanças profundas no currículo como no método de trabalho de cada professor, inclusive no meu, pois ela possibilita a geração de grandes informações com acesso quase imediato, ou seja, uma abertura de novo canal de informação e comunicação do aluno com o mundo. É necessário que a escola e seus profissionais repensem suas relações pedagógicas e de convivência, que evidenciam a todo momento que sem o uso das TDIC, as aulas tornam se desinteressantes para os alunos. Meu foco maior na utilização das TDCI, ainda é para organização e gestão do trabalho como arquivamento e registro de informações, como também a utilização de aplicativos que melhorem a produção no trabalho, mas já tenho proporcionado momentos de significativa aprendizagem para meus queridos alunos, levando até eles o conteúdo através de jogos digitais. Sinto que tenho muito a mostrar ainda para eles. Está ocorrendo grandes mudanças no modo como as informações e produção de conhecimentos estão se modificando, é preciso tornar o conhecimento mais acessível, imediato. Atualmente, as mídias se fazem presentes em nosso cotidiano de diferentes maneiras, ocupando os mais diferentes espaços sociais. A utilização das tecnologias digitais na educação visa, fundamentalmente, potencializar o aprendizado dos alunos, através de uma melhor organização e acesso ao conhecimento. Não devemos encarar a tecnologia como simples suporte pedagógico, mas defender o seu uso consciente na educação; como possibilidade significativa de melhorar e contribuir para o desenvolvimento educacional dos alunos. A questão é usar as tecnologias, conduzindo a aprendizagem.



terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Produção das crianças



Trabalho realizado pela Profª Daniela Martins - NE

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Atividades desenvolvidas no PLAC 3 - Atividade 1 - Ação 3 - Regiane de Fátima Franzói Lemos - (Professora)

Este projeto foi desenvolvido ao longo do ano com alunos do Ensino Fundamental 1, envolvendo os conteúdos trabalhados em sala de aula com os jogos educativos virtuais na sala informatizada da Escola Donato.

Assista vídeo:



terça-feira, 17 de novembro de 2015

FEIRA PEDAGOGICA 2015

Varal literário - 4º Ano
Varal Literário - 4º Ano - Profª Valdete

 Artes Obras de Artista Plástico - 5º Ano - Profª Zenilda

 Trabalho Interdisciplinar - 3º Ano - Profª Rute (Formas Geométricas), Profª Débora (Ed. Física/Brincadeiras) e Profª Maria José (Inglês / Nomenclatura das Formas)

 - 3º Ano - 

Poemas com Rimas - 5º Ano - Profª Ronise



Medidas de Tempo - 3º Ano - Profª Rute

Trabalho com Reciclagem - 1º e 2º Anos - Profª Maria do Carmo e Profª Carmem

Cultura Popular - º Ano - Profª Valdete

1º e 2º Anos - Profª Maria do Carmo e Profª Carmem


Literatura Infantil - 1º e 2º Anos - Profª Maria do Carmo e Profª Carmem

Plantas - 4º Ano - Profª Valdete


Formas Geométricas - 1º e 2º Anos - Profª Maria do Carmo e Profª Carmem

 - 1º Ano - 

Livro da Família - 1º e 2º Anos - Profª Maria do Carmo e Profª Carmem





Jogos Matemáticos - 4º Ano - Profª Valdete


Cultura Popular - 4º Ano - Profª Valdete



Uma pequena amostra da Feira Pedagógica ocorrida na Escola Donato representando parte do trabalho efetuado pelas Professoras de 1º ao 5º Anos do Ensino Fundamental.

Parabéns professores e alunos.



segunda-feira, 16 de novembro de 2015

DIA DO DIRETOR


 




NO DIA 12/11 COMEMORAMOS O DIA DO DIRETOR DE ESCOLA.

A ESCOLA DONATO  HOMENAGEOU O DIRETOR PIERRE COSTA DE ANDRADE DEMONSTRANDO A ELE O RECONHECIMENTO POR DESENVOLVER ESTA LIDERANÇA, RECONHECENDO QUE SE TRATA DE UMA TAREFA  DIFÍCIL PORÉM GRATIFICANTE.
A HOMENAGEM TEVE A PARTICIPAÇÃO DOS PROFESSORES E ALUNOS,  COM DIREITO A TRAJETÓRIA DO TRABALHO EM VÍDEO, PRESENTE  OFERTADO PELOS FUNCIONÁRIOS E GULOSEIMAS.
PARABÉNS DIRETOR PIERRE!


Professora da "Escola Donato" é referência em revista nacional sobre Educação



A professora de espanhol da Escola Básica Municipal Donato Alípio de Campos, María Glady Vieira Couñago de Moraes, foi referência nacional na Revista Nova Escola pelos trabalhos desenvolvidos com os educandos sobre cultura hispânica nos horários de aulas. Biguaçu, é a única cidade da Grande Florianópolis que tem em sua grade curricular a disciplina de espanhol do 6º ao 9º ano do ensino fundamental.

A educadora selecionou e imprimiu receitas de paella, da Espanha, dos panchos, da Argentina e do Uruguai, e de nachos e guacamole, do México. Certificou-se de que o vocabulário era compreensível para os jovens e dividiu a turma em grupos de cinco pessoas.

Por meio da convivência com a gastronomia da cultura hispânica, a professora Glady Couñago começou a ensinar aos educandos do 7º ano sobre os imperativos, sendo que cada grupo ficou responsável por ler e avaliar uma comida.

A professora avaliou que os adolescentes continuavam com dificuldade de conjugar os verbos e decidiu, então, executar um dos pratos na escola. Para isso, contou com o apoio da supervisora e do diretor. O prato escolhido foi o guacamole, por ser simples e bem diferente das comidas do Brasil.

A professora de espanhol, Glady Couñago, relata: “notei que estávamos trabalhando muita teoria e pouca prática, e quando perguntei se os alunos tinham ido a algum restaurante de comidas hispânicas e todos disseram não, eu resolvi fazer esta experiência na escola para melhor trabalhar o idioma”.

A professora de espanhol da Escola Donato María Glady Vieira Couñago de Moraes participa de um grupo de professores na rede social “Facebook” e o diretor da revista perguntou aos participantes do grupo algum projeto legal para ser divulgada na revista na edição de outubro. Com isso, a professora resolveu postar sobre esse trabalho realizado com os alunos e foi selecionado entre vários projetos.

O educando do 9º ano da EBM Donato Alípio de Campos, Gabriel Silva Franzen, explica que as aulas ministradas pela professora são muito legais. “Além de aprendermos muito sobre a cultura do México, Argentina e Uruguai, nosso trabalho foi reconhecido nacionalmente e estamos muito felizes com essa conquista”, relatou o aluno Gabriel.

Já a aluna Nicolle de Souza Marcelino, também do 9º ano, afirmou que “a experiência foi muito boa, porque não foi a mesma rotina de todos os dias, foi um trabalho que deu resultado e foi destaque nacional. Aprendemos mais do que se fosse dentro de sala lendo no quadro, e eu gosto muito das aulas da professora Glady, pois além deste projeto, temos todo bimestre duas aulas de músicas espanholas, onde a professora nos passa para cantarmos em sala. As aulas dela são bem divertidas e aprendemos com muita facilidade o conteúdo”.

Leia a matéria da Revista Nova Escola abaixo, ou diretamente via link: http://novaescolaclube.org.br/revistas/nova-escola/286/sala-de-aula/receita-para-uma-boa-aula-de-espanhol

PARABÉNS PROFESSORA GLADY, NOSSA ESCOLA ESTÁ SUPER ORGULHOSA DE SEU TRABALHO.



VITÓRIA NO PROGRAMA DROGA ZERO





















A Prefeitura de Biguaçu realizou no dia 29/10 a premiação dos vencedores da 5ª edição do concurso de redação e cartaz do Programa Droga Zero. O evento aconteceu no auditório da UNIVALI - Campus B.

Tendo como tema “Diga Sim à Vida, Não às Drogas”, o programa é desenvolvido pelas Secretaria de Governo e Secretaria de Educação. O Programa Droga Zero é uma iniciativa que visa educar e conscientizar alunos, pais e professores sobre a importância de prevenir e combater o mal que as drogas causam à sociedade.

O evento teve como palestrante o repórter da empresa Grupo RBS, Edsoul, que falou sobre sua história de vida, explicando os malefícios que as drogas causam aos alunos, e também interagiu e realizou dinâmicas com os educandos, no intuito de mostrar como as pessoas acabam se perdendo no mundo das drogas.

A secretária de Educação, Marcia Rodrigues de Azevedo, relatou “quero agradecer aos professores que estão fazendo este trabalho lindo com os alunos, que abraçaram esse programa e deixarão esse fruto maravilhoso para os jovens fazendo Biguaçu cada vez melhor”.

Foi um dia muito especial para a E.B.M. Prof Donato Alípio de Campos e para os queridos alunos Deanne Gomes ganhadora da melhor redação de 9º ano do município, sem falar no prêmio de melhor cartaz, que ficou também com a E.B.M. Donato Alípio de Campos.

Professora Andreia Dalpasquale tem orgulho de dizer que foi responsável por coordenar este trabalho e ficar com os alunos, incentivando-os a dar o seu melhor até o último segundo, junto as professoras de Língua Portuguesa da escola. Mas valeu a pena não foi galera?

Está aí um pouquinho do evento que aconteceu no dia !

Parabéns a toda a equipe de funcionários, pedagógica e diretor Pierre Costa de Andrade, que contribuiram para que todo o trabalho acontecesse.Em especial as alunos e para a Professora Andreia Dalpasquale .

terça-feira, 16 de junho de 2015

VARAL LITERÁRIO

Disciplina: Língua Portuguesa                                    
Professora: Josiane Machado Schusler
Ensino Fundamental:  Séries Finais (6º ano I )                                                             

O varal literário tem por objetivo proporcionar a interação com os alunos, favorecendo a eles uma aprendizagem prazerosa dentro da sala de aula.
"Visando que a base do trabalho da linguagem é o texto, adotei por trabalhar com fábulas. Uma vez que,  o gênero é algo enriquecedor, apresenta uma forma de aprendizagem digna para crianças, jovens, e adultos. Tendo uma flexibilidade para cada leitor.  Através das fábulas o aluno tem acesso  ao “universo” do mundo letrado, visando  também, o entendimento sobre o universo imaginário vivido no universo real." (Profª Josiane)